Greve na Rodoviária do Tejo

Das 3h do dia 29 de novembro até às 3h do dia 1 de Dezembro os trabalhadores das empresas Rodoviária do Oeste, Rodoviária do Tejo e Rodoviária, pertencentes ao Grupo Barraqueiro, vão estar paralisados.

A greve foi convocada pela Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS),como protesto contra “situações discriminatórias” relativas a diferenças laborais e salariais entre trabalhadores, por serem abrangidos por duas convenções de trabalho diferentes, segundo declarações de Manuel Castelão, dirigente da FECTRANS. Em causa estão os salários praticados pelas empresas de transportes que, no caso da Rodoviária do Tejo ronda os 621 euros e que inclui o abono de falhas, enquanto que um motorista da ANTROP tem um salário de 650 euros. Além do aumento do salário, reivindicam também o aumento do subsídio de refeição que se situa atualmente nos 2,55 euros. A FECTRANS estima que “praticamente a totalidade” dos 650 trabalhadores possa aderir à greve. Quanto aos serviços mínimos, a Federação dos Sindicatos afetos à greve “fez uma proposta com 150 motoristas para os serviços mínimos, número este que a empresa já considerou insuficiente. O secretário geral da CGTP-IN, Arménio Carlos estará presente no piquete de greve do distrito de Santarém nesta quinta-feira, às 07h30 na Rodoviária em Santarém.

.