Não há soluções, há caminhos: 23 março

O sacrifício do coração, que é interior, precisa também do exterior. Nem sempre convertemos o coração se não moldamos a dimensão corporal, que também é nossa e que às vezes está muito instalada, egoísta. O exterior ajuda o interior e vice-versa, e isto feito correctamente, não só com boas intenções mas com práticas que ajudam, sem excessos, é o sentido das chamadas penitências e dos sacrifícios, que precisam de ser bem entendidos e que devem ser expressões de amor, que levam, por exemplo, a passar a noite em claro à cabeceira de um doente. E também é grandeza de alma querer fazê-lo, não só para cuidar, mas para partilhar o sofrimento. E nada disso vale porque custou, mas somente porque se amou.
Vasco P. Magalhães, sj
ONDE HÁ CRISE, HÁ ESPERANÇA

.