Não há soluções, há caminhos: 1 setembro

A objecção de consciência e a recusa civil são valores muito importantes e recursos indispensáveis em tantas situações contemporâneas de injustiça. Todos conhecemos exemplos. Qualquer autoridade se pode tornar prepotente e manipuladora, pretendendo impor comportamentos e leis desumanizantes. Há então que reagir, saber dizer não, lutar pela verdade e pela justiça. Pactuar ou desistir é que é uma violência, sobretudo nas questões vitais. É preciso não esquecer que a maioria tem força, mas não tem, necessariamente, razão.
Vasco P. Magalhães, sj
ONDE HÁ CRISE, HÁ ESPERANÇA
Um pensamento para cada dia: ver em tudo o que acontece uma oportunidade de crescimento.

.