CRIAL quer aumentar instalações e confia nos decisores políticos

”Três anos depois da inauguração da primeira fase da unidade residencial do CRIAL, a 13 de fevereiro de 2016, atualmente com 21 camas todas ocupadas, e de entretanto ter encetado em 2017 e concluído em 2018 mais
uma obra de remodelação e ampliação de salas de atividades na ala mais antiga deste Centro, passando de duas para seis salas modernas, iluminadas, arejadas, equipadas com novo mobiliário e novas tecnologias, surge a necessidade premente de ampliar a unidade residencial com mais nove camas, de acordo com a área existente”, revela José Carlos Silva, Presidente da direção da instituição.

A ampliação pretendida e a construir no seguimento da existente, contemplará nove camas, divididas por um quarto triplo e três
quartos duplos e um hall de apoio, apoiados por três instalações sanitárias para pessoas com mobilidade reduzida, uma sala de estar/atividades/visitas e uma sala para profissionais (gabinete técnico), ambas com instalação sanitária de apoio.

Nesta conversa com o nosso jornal, José Carlos Silva destaca a importância da nova obra com o argumento de que é “muito importante para apoio a clientes já frequentadores deste Centro na valência CAO, com familiares idosos, debilitados ou mesmo sem familiares diretos”. Depois, porque são confronta dos também com a necessidade de eventuais apoios para clientes do concelho e da região, que se inserem dentro da mesma problemática e porque podem e devem aproveitar e rentabilizar ao máximo os equipamentos e espaços existentes, nomeadamente, cozinha, refeitório, salas de atividades e convívio, pátio de recreio e instalações sanitárias, que são em número suficiente, superam a área exigida e reúnem condições de apoio para todas as atividades diurnas e noturnas.

A direção sustenta ainda que “embora existam em regime de ocupação permanente 21 camas, divididas por dois quartos triplos, seis quartos duplos e três individuais, apoiados por sete instalações sanitárias para pessoas com mobilidade reduzida, 2 salas de estar/atividades/visitas e uma sala para pessoal, apoiadas com instalação sanitária, uma zona de sujos e rouparia, este número é claramente insuficiente.”

Mesmo em fase de mudança no governo, José Carlos Silva diz “confiar plenamente nas intenções do Senhor Ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, que tem repetidamente referido que a Deficiência é uma Prioridade. Confiamos igualmente que o programa de apoio ao investimento, PARES – Programa de Alargamento da Rede de Equi-
pamentos Sociais, que recentemente “abriu” para as Creches, chegue a curto prazo para o apoio à deficiência. Só desta forma e com
estes apoios é que as direções que trabalham por este país fora, em regime de total voluntariado, terão vontade e coragem para continuar a vencer as adversidades, tantas vezes difíceis de aceitar ou mesmo incompreensíveis”, conclui.

Recorde-se que em 28 de novembro de 2018, na sede do CRIAL, realizaram-se eleições para o quadriénio 2019-2022 e José Carlos Silva foi reeleito, traçando o desejo de aumentar a residencial. A Assembleia Geral Ordinária que, para além da apresentação do Plano de Atividades e Orçamento para o ano 2019, teve como ponto de grande interesse a Eleição dos Corpos Sociais para o quadriénio 2019/2022.

A lista única, com estes órgãos, sujeita a su-
frágio foi eleita por unanimidade. No Plano

de Atividades para o ano 2019, a nova direção
aceitou levar por diante a proposta que vinha

de trás para a ampliação da Unidade Residen-
cial.

.