Encanto

Os Mercados de Natal, sobretudo nos últimos 10 anos, têm aumentado. Na Europa destacam-se os mercados de Budapeste, Praga, Viena e Bruxelas, atraindo visitantes do mundo inteiro. São ambientes mágicos, quentes e acolhedores. Pessoalmente já visitei os dois primeiros e são fabulosos. Os aromas e os festivais de luzes que enfeitam o ambiente são únicos e inesquecíveis. Mas não é só a Europa a deter enormes mercados de Natal baseados no tema Bávaro, com os tradicionais chalés de madeira estilo alpino. Estados Unidos e Canadá têm hoje dos mais bem-sucedidos mercados de Natal.

Em Portugal também temos os nossos mercados, versões incomparáveis com os exemplos dados, os quais beneficiam de recursos de que não dispomos. Ainda assim, saliento o de Oeiras, Cascais ou de Óbidos.

Certamente que estes eventos acarretam custos, mas os retornos são também grandes, não só ao nível financeiro dada a afluência de visitantes, mas também, ao nível da satisfação das populações. Investir primeiro para colher depois, tem sido o lema destas autarquias de direita, e o sucesso está à vista. Considero que Almeirim beneficiaria em estabelecer um mercado com maior exigência e compromisso. Implicaria investimento, mas um risco que compensaria correr, para construir um verdadeiro mercado de Natal de referência. Quando desenhados correctamente e acompanhados de uma eficaz estratégia de marketing são verdadeiros polos de atracção. A prazo a estratégia traria um impacto económico positivo, não só para os parceiros, mas para toda a cidade.

Por Nuno Fazenda

.