Não há soluções, há caminhos: 23 dezembro

O discernimento último é tornar-se capaz de uma relação íntima com Outro. Livre para escutar a voz e o segredo interior do Espírito, para deixar-se conduzir por Ele que é o primeiro agente, sujeito, do discernimento. Ele sopra onde quer e para onde quer, mas não faz tudo. O Espírito passa para além da norma, da situação e dos seus equilíbrios convencionais. Deve mesmo dizer-se que viver à luz do Espírito Santo é estar pronto a transgredir as rotinas e a transgredir-se na liberdade dos filhos de Deus.
Vasco P. Magalhães, sj
ONDE HÁ CRISE, HÁ ESPERANÇA
Um pensamento para cada dia: ver em tudo o que acontece uma oportunidade de crescimento.

.