Imobiliário – Santarém Resiste à Pandemia

Poucos anos terão testado a nossa vida da mesma forma que 2020. Com inúmeros segmentos da economia ainda a sofrer o impacto das restrições em vigor, o futuro segue particularmente imprevisível.

Como em tantas outras crises de diferente dimensão e impacto, alguns sectores tendem a proliferar, demonstrando uma resiliência que parece por vezes inabalável.

Numa análise mais abrangente, é precisamente esse o caso do imobiliário em Portugal.

2020 – Um Ano Como Poucos

É importante perspetivar que o ano de 2019 foi o ano mais próspero de sempre a nível global. Com grande parte das maiores economias a crescer a ritmos nunca antes vistos, esse efeito tocou também o nosso país, habitualmente caraterizado por uma fraca prestação nos mais diversos segmentos da economia.

A evolução ímpar do turismo e a sua dependência não tardaram em traduzir-se num impacto que abrangeu muitas outras áreas de negócio, ainda que poucas com maior efeito que no imobiliário nacional. Inúmeros empreendimentos brotaram, trazendo consigo a já famosa placa de alojamento local.

Distritos como Santarém foram poupados em dada medida a esta tendência, mas não obstante, a vaga que assolou o país também afetou as fundações e a dinâmica do mercado no alto Ribatejo.

O número de casas disponíveis principalmente nos grandes centros populacionais não conseguiu de todo acompanhar a onda de procura, resultando em preços que escalaram para além das mais otimistas expetativas.

O Reverso da Medalha

Os mais recentes dados relativos à evolução do mercado imobiliário do barómetro de dezembro não deixam dúvidas. Se por um lado, a maioria dos portugueses foi afetado negativamente pela pandemia, o mercado imobiliário conseguiu demonstrar uma notável resiliência perante a crise.

Os preços de venda seguem em tendência ascendente, não sendo Santarém uma exceção a esta regra que se estende praticamente a todo o país. Olhando para a evolução do último ano, temos um crescimento de 7,4% onde um valor médio de venda de €150.368 em dezembro de 2019 se encontra um ano depois nos €161.535.

Olhando mais de perto, esta variação de preços segue ascendente, tendo evoluído 0,7% entre novembro e dezembro de 2020. Se por um lado Santarém se encontra entre os distritos onde os preços ainda atraem pelo seu valor relativamente baixo, é também nestes em particular que se parece observar uma maior tendência de crescimento dos valores praticados a médio prazo.

Distritos Mais Económicos Atraem

Com algumas das mudanças que a pandemia poderá trazer para ficar, nenhuma é tão relevante e fraturante como a adoção antecipada do teletrabalho, sendo expetável que a procura em distritos com preços mais acessíveis aumente.

Por um lado, existe uma larga fatia de portugueses que vivem nos grandes centros ou na sua periferia por mera necessidade profissional. O constante aumento de preços nestas zonas acaba por asfixiar muitas famílias e excluí-las do acesso à habitação.

Será num cenário recorrente com base no teletrabalho que os distritos do interior e os demais que apresentem preços de imobiliário competitivos, como é o caso atualmente de Santarém, serão aqueles que vão ter especiais argumentos em atrair famílias que aqui se desejem fixar.

Cabe a cada autarquia tomar as medidas devidas no sentido de atrair estes novos habitantes, garantindo as condições necessárias para desenvolver a sua atividade profissional.

Se a pandemia nos trouxe a todos uma enorme montanha de desafios para escalar, trouxe com ela também a oportunidade de repensar a forma como temos vivido até este momento ímpar.

.