Especial pandemia: CRIAL sofreu e muito com Covid-19

No dia 6 de março, fez um ano que surgiu o primeiro caso de Covid-19 no concelho de Almeirim.
A edição impressa de 1 de março do jornal O Almeirinense abordou a situação de um ano de pandemia com um conjunto de entrevistas que retratam a luta do concelho contra a Covid-19 e a opinião dos entrevistados sobre o tema. O primeiro entrevistado foi José Carlos Silva, Presidente do Centro de Recuperação Infantil de Almeirim (CRIAL), que explicou a luta do centro contra a Covid-19 que acabou por a morte de um utente e com utentes da associação a serem internados.

O Centro de Recuperação Infantil de Almeirim (CRIAL) foi uma das associações do concelho afetadas com a pandemia da Covid-19, onde um utente acabou por morrer e três utentes da associação acabaram por ser internados. José Carlos Silva, Presidente do CRIAL, admitiu, com tristeza, que o surto causou a morte de Jorge Carolo, um dos utentes do centro e uma pessoa conhecida entre a população do concelho de Almeirim: “Ele era a imagem, a voz e o sorriso. Fará parte da memória de muitos almeirinenses, dos grandes amigos, alguns como irmãos, em Alpiarça e naturalmente da nossa casa, que já era a casa dele”.

Apesar de tudo, o CRIAL respirou de alívio por ter regressado a paz e José Carlos Silva admitiu que apenas um utente está a precisar de alguns cuidados, mas que está a ser acompanhado pela enfermeira e por uma médica.

“Tenho a certeza de que para muitos o sofrimento era agravado pela incerteza que havia quanto aos utentes”

No entanto, é difícil esquecer a mistura de sentimentos como medo e incerteza que rondaram entre utentes e funcionários do centro. Apesar de não ter havido funcionários internados, “houve bastantes infetados e
alguns com mais gravidade do que os outros. Tenho a certeza de que, para muitos, o sofrimento era agravado
pela incerteza que havia quanto aos utentes”, salientou José Carlos Silva.

Ao longo do ano de 2020, os sacrifícios foram muitos e o Presidente do CRIAL afirmou que o sacrifício continua
presente na vida de todos do CRIAL: “Foram muitos funcionários em isolamento e os que restavam, naturalmente, estavam sobrecarregados de trabalho, mas estoicamente empenhados no acompanhamento e bem-estar dos utentes”.

Em março, vai fazer um ano desde o aparecimento do primeiro caso de Covid-19 em Portugal. José Carlos Silva contou que o CRIAL teve de se adaptar à pandemia, onde obedeceram às orientações e criaram condições possíveis para evitar um maior número de contágios e que não foi um ano fácil para todos do centro. Foi um ano de confinamento e um ano de clausura para os utentes do CRIAL.

“(…) temos consciência de que será uma “normalidade” repleta de maiores cuidados. Será uma normalidade em que os contactos, o carinho e as aproximações ainda estarão muito distantes”

O Presidente do CRIAL contou que estiveram com outras entidades para ajudar a travar o Coronavírus, onde
tentaram seguir as orientações dadas pelos profissionais de saúde e tiveram apoios: “Depois tivemos, sempre que
solicitado, o acompanhamento da Câmara Municipal de Almeirim, tivemos o apoio e acompanhamento dos profissionais de saúde, bem como da própria Delegada da Saúde. Também contámos com os bombeiros Voluntários
de Almeirim na desinfeção do nosso espaço.” José Carlos Silva admitiu que todos os profissionais e utentes do CRIAL fizeram testes de despiste à Covid-19.

Apesar dos obstáculos que tiveram de enfrentar com a pandemia, o Presidente do centro deseja que o regresso
à normalidade seja para breve, no entanto tem a sua opinião do que será a normalidade no futuro: “Depois deste ano, em que as incertezas continuam a pairar o espírito dos mais previdentes, temos consciência de que será uma “normalidade” repleta dos maiores cuidados. Será uma normalidade em que os contactos, o carinho e as aproximações ainda estarão muito distantes”.

.