O retorno da economia em Almeirim

A segunda fase do desconfinamento começou esta segunda-feira, dia 5 de abril. Em Almeirim, os proprietários do comércio não alimentar abriram portas e esperavam que o calor convidasse os almeirinenses curiosos a entrarem nas suas lojas e verem novamente o seu negócio fluir.

“Notamos é que as pessoas não têm medo de entrar”

Nas ruas da cidade de Almeirim, viram-se pessoas a caminharem para tomar um café à esplanada ou até mesmo para fazer as suas compras no comércio local.

A loja Miruca Limitada, florista e de organização de eventos, foi um dos estabelecimentos que conseguiu continuar a vender os seus produtos, pois foi das lojas que se manteve aberta durante o confinamento causado pela pandemia da Covid-19. Sandra Dominguez, proprietária da loja Miruca, admitiu que mesmo antes de o desconfinamento começar “tivemos movimento na loja porque estivemos sempre a trabalhar”.

Sandra Dominguez (Proprietária da loja Miruca Limitada)

Afirma que notou uma diferença entre a primeira fase e a segunda fase do desconfinamento: “Notamos que as pessoas não têm medo de entrar na loja, porque a loja é uma área espaçosa e está separada por setores. Ou seja, isso é ótimo para nós, tanto que o cliente pode vir e não ter o mínimo problema de estar com muitas pessoas em loja”.

Apesar da falta de clientes no fim do dia, a proprietária da Miruca Limitada afirmou que durante o dia ainda tiveram movimento e que receberam comentários positivos dos clientes: “Estamos a receber clientes novos, eles entram e dizem sentir-se bem, confiantes e em segurança ao entrar na nossa loja”.

“Desde que haja regras da porta para dentro”

Já no comércio de pronto a vestir, o negócio vai caminhando aos poucos. João Mourato, gerente da loja José Rosa Limitada, afirmou que existiu mais movimento desde que a segunda fase do desconfinamento começou, mas que esperava mais movimento na loja.

João Mourato (Gerente da loja José Rosa Limitada)

Apesar de a segunda fase do desconfinamento ter começado há pouco tempo, foi numa pequena gargalhada que João Mourato confidenciou que ainda existiem pessoas que não sabiam poder estar no interior da loja: “Por acaso hoje, eu e a minha colaboradora estávamos a atender pessoas e havia duas pessoas que não sabiam se podiam entrar na loja ou não por causa de estarem pessoas dentro da loja e depois entrou apenas uma”.

O gerente da loja tem esperanças que com o avançar do desconfinamento, mais pessoas tenham curiosidade e vontade de entrar na loja “desde que haja regras da porta para dentro” e afirmou que durante o dia ainda atenderam 16 pessoas.

Mesmo com esperança e a alegria de voltar a abrir portas, João Mourato admitiu que já ouviu dizer que as lojas poderiam voltar a fechar dali a duas semanas: “Acho que as pessoas não têm cuidado nas esplanadas e em outros sítios. É uma incógnita, porque era bom que a loja não fechasse”. Com um pouco de tristeza, João Mourato afirmou que se as lojas voltassem a fechar, não saberia o futuro para a loja José Rosa em Almeirim.

“As pessoas disseram que tinham saudades de ir à loja, verem as coisas com os próprios olhos”

Já no Atelier Salpicos D’Arte, Sónia Santos abriu portas em fevereiro do ano passado, antes da pandemia da Covid-19 chegar a Almeirim. No entanto, houve diferenças entre o primeiro e o segundo confinamento: “No primeiro, estive totalmente fechada. Com o segundo, consegui fazer algumas vendas online.”

Sónia Santos também confidenciou que no primeiro dia, existiu movimento na loja e que “as pessoas perguntavam se podiam entrar ou não. As pessoas precisavam mesmo de desconfinar”.

Sónia Santos (Proprietária do Atelier Salpicos D’Arte)

Assim como a loja Miruca Limitada, o Atelier Salpicos D’Arte também recebeu comentários positivos da reabertura da loja: “as pessoas disseram que tinham saudades de vir à loja, verem as coisas com os próprios olhos, porque ao postigo é bem diferente: só viam o que eu levava à porta”, explicou Sónia Santos e, na sua opinião, acredita que houve mais gente nas ruas “porque as pessoas saíram para ver como estavam as lojas e como é que estavam a funcionar. Assim que puderam sair, saiu tudo”.

Nesta quarta-feira, dia 7 de abril, o concelho de Almeirim registou 1289 casos confirmados, 32 óbitos, 21 casos ativos, 1236 casos recuperados, 48 casos em vigilância ativa, e apresentou uma taxa de incidência de 124 por 100 mil habitantes. 

Mariana Cortez

.