Fábio Figueiras: “É nos obstáculos que se encontram os desafios”

HORTISAVE Fábio Figueiras tem 20 anos e é um jovem empresário que, por influência dos seus familiares, criou a Hortisave, uma empresa que se destina ao comércio de produtos alimentares.

Conte-me um pouco do seu percurso profissional.
Após terminar o secundário, estive em Londres, numa formação de inglês com duração de seis meses. A minha ideia inicial seria ficar a viver em Londres e criar uma vida no estrangeiro. Porém, quando terminei a formação decidi voltar para Portugal e investir numa empresa neste meu país, que tanto valorizo e prezo.
Foi assim que nasceu a Hortisave, empresa que se destina ao comércio de produtos alimentares, principalmente frutas e legumes.

Como surgiu a ideia de criar este serviço porta a porta? Desde quando existe?
A ideia de criar o grupo Hortisave surgiu num contexto muito bem pensado e futurista, tendo em conta os acontecimentos do último ano, isto é, a pandemia que nos têm obrigado a confinar, dificultando até mesmo as nossas compras mais básicas, como a alimentação.
Refiro-me a “grupo”, pelo simples facto da venda se estender a mais do que o porta-a-porta, uma vez que também
abastecemos pequenas, médias e grandes mercearias/lojas, restaurantes e instituições, como no caso da Santa Casa Da Misericórdia de Almeirim, à qual agradecemos muito pela realização e divulgação desta entrevista. Considero que o mais importante nesta venda base (porta-a-porta) foi e seja sempre o objetivo de mostrar e apoiar as nossas origens, visto que se olharmos a alguns bons anos atrás, quando a existência dos supermercados era nula, era aos comerciantes do porta-a-porta que as pessoas recorriam. Penso que na zona mais a norte e no interior de Portugal ainda será possível encontrar pessoa que ainda hoje recorrem a estes mesmo
comerciantes.
Nesta etapa, tendo em conta o último ano, tenho me apercebido que para avançar será preciso voltar atrás e como não o podemos fazer através do tempo, teremos de o fazer decididamente através de ações, passando estas pelo cuidado para com as distâncias de segurança e evitação de aglomerados.

Criar um negócio em tempos de pandemia, exige uma coragem adicional. Encontrou dificuldades ou obstáculos?
Acho que quando se começa um negócio, independentemente de vivermos presentemente numa grave pandemia, a dificuldade inicial está sempre presente, mas é nos obstáculos que se encontram os desafios e estes por consequente fazem-nos aprender, crescer no negócio e melhorar enquanto empresários.
Falando por experiência, um bom desafio e cumprimento do mesmo, realiza-nos, incentiva-nos e faz-nos querer mais, pensar mais e tentar ir para além dos sentidos e limites humanos. O ciclo do desafio (o qual mencionei anteriormente) é algo fantástico, mas extremamente viciando, num sentido positivo.

Hortisave no serviço porta-a-porta

Que produtos tem à venda?
Queremos ter tudo! Tentamos ao máximo, expandir os tipos de produtos que vendemos, criando gradualmente uma
mercearia ambulante, com um pouco de tudo, para evitar as excessivas deslocações aos nossos consumidores. Começámos apenas com frutas e legumes. Hoje, já vendemos muito para além disso. Temos vindo a acrescentar os secos como o feijão, grão e frutos secos, os oleaginosos como o azeite, as azeitonas, o mel, o pão caseiro, com chouriço e com farinheira, feitos num forno de lenha, os bolos tradicionais, como as ferraduras e os bolinhos de limão, sendo estes últimos uma receita de família muito antiga e tradicional.

Qual é o tipo de cliente que mais o procura?
Penso que somos procurados e a nossa venda se dirige muito ao tipo de clientes que mais preza a qualidade dos produtos que pretende consumir diariamente, sobrepondo esta ao preço dos produtos. Honestamente, igualo qualidade a vida, porque consumir produtos, nomeadamente os alimentares que não têm qualidade alguma tira-nos gradualmente anos de vida.
É preferível comer bem e viver melhor ainda, do que anos mais tarde investir dinheiro na farmácia, em suplementos
ou em medicamentos que não acabam com as doenças. Alimentação será sempre a base e não os medicamentos, por
mais “milagrosos” que estes possam parecer ser.

Que áreas geográficas abrange o seu serviço?
Neste momento tentamos chegar a todas as partes do Ribatejo, como homenagem ao berço do negócio.
Uma vez que o Ribatejo ou grande parte deste esteja em contínuo abastecimento, aumentaremos a nossa área de distribuição, com forte inclinação para o sul.

Como podem as pessoas encomendar e contactar?
É Fácil contactar-nos! Recebemos encomendas via telefone (918 012 707), facebook (Nome da página: Hortisave) ou via email.

Entrevista de Ana Rita Amaro

.