“Há situações que fogem completamente da rotina”

Ricardo Sardinheiro, treinador de iniciados do Footkart, contou como foi o regresso aos treinos em tempos de pandemia da Covid-19 e a preparação
para o ano.

Como está a decorrer a preparação para o regresso à competição?
A preparação para o regresso à competição tem estado a correr bem dentro das condições possíveis atualmente. Claro que é de uma forma atípica face ao que estávamos habituados em épocas anteriores e ainda por cima com o facto de, até ao momento, não termos informação oficial da data em que o campeonato se irá iniciar.

Já passou algum tempo desde o regresso
aos treinos. Quais as maiores dificuldades do treinador, dos jogadores e dos dirigentes?

As maiores dificuldades para todos (treinadores, jogadores e dirigentes) tem mesmo a ver com todo este ambiente muito diferente do que estávamos habituados no passado. Uma realidade completamente distinta e
uma adaptação constante às medidas da DGS para que seja possível os treinos funcionarem dentro da normalidade atual. Desde os controlos que têm de ser efetuados aos atletas antes de cada treino pelos dirigentes, à planificação dos treinos e deste arranque de época, aos espaços a utilizar, à limitação do tipo de exercícios a realizar tentando cumprir com as exigências, a circulação dentro do próprio campo, a utilização muito condicionada dos balneários etc, entre muitas outras situações que fogem completamente da rotina das épocas anteriores.

Até agora não tiveram nenhum problema na equipa?
Por enquanto não. Felizmente, não há nada a registar. Apenas lesões que surgiram com muito maior frequência neste arranque de época face ao excessivo tempo de paragem a que os miúdos foram obrigados a ter desde o inicio de março. A paragem prolongada sem treinos não veio ajudar em nada e agravou o problema com lesões diversas que não era normal acontecerem nesta altura de período pré competitivo.

Sente que os atletas estão conscientes e
têm comportamentos responsáveis deste
problema?

Sim, até ao momento têm sido bastante compreensivos. Até pelo facto de os treinos terem algumas limitações e condicionantes que dificultam a elaboração de determinados exercícios.
Cumprem com as normas instituídas, assim como os seus familiares e não temos tido reclamações. É a nova realidade e a ela todos têm de se adaptar.

O resto da entrevista encontra-se disponível na edição de 15 de outubro que ainda se encontra nas bancas.

.