Victor Guerra: “O cliente é sempre a inspiração”

Victor Guerra é um designer de interiores, com experiência internacional, atualmente em Almeirim e com espaço aberto na Rua Marechal Gomes da Costa, 7A.

Victor Guerra é um designer de interiores com um percurso profissional de
mais de 20 anos ao serviço das Nações Unidas, onde adquiriu a uma escala internacional e multicultural uma vasta experiência na criação e implementação de projetos para interiores e de cenografia, bem como em relações públicas e protocolo.

Antes de se juntar às Nações Unidas trabalhou com designers de
interior de renome internacional, tendo sido responsável pela criação de diferentes espaços – desde os mais clássicos aos mais ultramodernos.

Entre Lisboa, Genebra e Nova Iorque, criou conceitos baseados na singularidade da sua relação com o cliente e na correspondência entre aquilo que é a personalidade do indivíduo e a particularidade do espaço. O designer afirma que o interior deverá ser o reflexo do seu proprietário, uma extensão da sua personalidade, e não depender de fenómenos de tendência ou de moda. A riqueza de um interior vem das histórias
que cada um tem para contar.

Como surgiu a paixão pelo design?
Desde muito jovem as cores, texturas, materiais e formas foram sempre coisas que me atraíram. O meu quarto era um espaço que estava sempre em mudança/alterações (risos). Nunca prestei atenção, e ate enveredei por estudos em direito e mais tarde comunicação.
Só quando fui viver para Genebra, e devido ao facto de ter começado a trabalhar com familiares que tinham um gabinete de arquitetura, é que voltei a dar atenção a esta atração que vinha da infância.

Porquê Almeirim?
Sempre fui um apaixonado pelo Ribatejo e Alentejo. Pelas grandes planícies a perder de vista, o clima, a maneira simples e tranquila de viver, e claro os cavalos (não pratico equitação tanto quanto gostaria, vamos ver se agora vai haver mais tempo) (risos).
Almeirim foi simplesmente uma surpresa da vida. A visita de uma casa em
pleno mês de julho, e a vontade imediata de não querer voltar a Lisboa, seguido depois pela descoberta de um espaço comercial que tinha o numero 7 (os nossos espaços de trabalho em Lisboa e o de Leiria são também no numero 7) ao lado do CineTeatro de Almeirim que me cativou pelo estilo de arquitetura modernista.

Como tem sido a receção dos Almeirinenses?
Sou surpreendido pela positiva todos os dias. Desde os vizinhos onde moro aos da rua onde está o atelier, não poderia imaginar melhor receção e apoio. Sente-se um “ambiente” familiar.
Mesmo no comércio local, as primeiras semanas em que perguntava onde era isto ou aquilo, a disponibilidade e amabilidade das pessoas para responder, indicar, etc… foi sempre muito boa.

O que distingue o seu trabalho e as suas criações?
Eu acredito que o design deve ser acessível a todos, independentemente do
budget de cada pessoa. É com base neste conceito, que todas as nossas peças/projetos são idealizadas por mim, e depois construídas em equipa com a produção e outros parceiros. Embora seja o meu
nome que está presente (como dizem as pessoas que trabalham comigo “… tudo começa com o Victor…”) é sempre um trabalho de equipa – uma produção 100% nacional que permite personalizar toda e qualquer peça ou projeto, um acompanhamento de projeto que é feito à medida do cliente e com o cliente.
Para mim, o cliente é sempre a inspiração e um membro da equipa. Creio ser importante que assim seja, pois, a peça ou projeto é nosso também durante um certo período de tempo, mas quando finalizada/o é do cliente, e é este que vai viver com a peça ou com o interior no seu dia a dia. Creio ser uma mais valia para cada um poder ter um interior à sua medida, com peças que foram feitas para a pessoa.
Com uma produção nacional e uma boa equipa de trabalho é possível ter um interior ou uma peça personalizada muitas vezes ao mesmo preço de algumas de produção em massa.
O meu/nosso trabalho é também de guiar o cliente, de o acompanhar nas
escolhas de materiais, cores e texturas, mas tendo sempre em mente a nossa neutralidade enquanto indivíduo com os nossos “gostos” pessoais. É uma linha muito fina e nem sempre fácil de não transgredir, pois é o projeto do cliente e não o nosso.
É por isso que o nosso lema é “inspired by you” – inspirado pelo cliente.

.