Sem Rigor!

É quase consensual que o custo final das grandes obras, raramente corresponde ao valor da adjudicação inicial. Quase
nunca se questiona a origem das famosas “derrapagens”. Vem isto a propósito da obra de reconversão do antigo edifício do IVV para um pavilhão multiusos.

A obra foi adjudicada pelo valor de 4.532.528,73€. Pouco depois de se iniciarem as obras, estas pararam e assim continuam há alguns meses. Quando a CDU questionou o motivo da paragem das obras, o Sr. Presidente da Câmara respondeu que, durante os trabalhos de demolição, se concluiu que a situação era mais complexa do que se esperava. Já este ano, foi aberto um procedimento para concurso público com a descrição “Alteração de fundações e cave do antigo edifício do IVV”. O preço base destas obras a mais é de 674.854,34€. A obra ainda mal começou e já temos uma “derrapagem” de quase 15%!

(…) e a responsabilidade política de uma gestão cuidada (…)

Não é preciso ser especialista para perceber que estamos perante um erro grosseiro de projeto! A pergunta que se impõe é, como é que ninguém da Câmara se apercebeu desta falha? Há responsabilidades a pedir e não só
ao projetista.

O executivo da Câmara Municipal de Almeirim tem a obrigação de acompanhar diligentemente os projetos em que está envolvido, e a responsabilidade política de uma gestão cuidada dos dinheiros públicos que lhe são confiados.
Tivesse a maioria PS do executivo acompanhado os princípios defendidos pela CDU de TRABALHO, HONESTIDADE E COMPETÊNCIA e não estaríamos perante esta lamentável situação.

António Cruz Martins
CDU Almeirim

Artigo de opinião publicado na edição impressa de 15 de abril de 2021

.