Concelho de Almeirim apresenta 3,88% da população com anticorpos

3,88% da população residente do concelho de Almeirim de uma amostra de 270 pessoas já esteve em contacto com o Covid-19 e fortaleceu anticorpos contra o vírus. Dos 270 participantes, 12 foram expostas ao Covid-19, onde 4 não apresentaram qualquer sintoma e 2 apresentaram valores negativos no teste. “Quando dizemos expostas, estamos a dizer da resposta dos anticorpos”, explica André Peralta dos Santos referindo ao teste serológico.

O estudo organizado pelo Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) foi divulgado esta sexta-feira, dia 17 de julho às 10 da manhã onde foram divulgados os resultados preliminares do estudo serológico à Covid-19 realizado no concelho de Almeirim que decorreu de 23 de maio a 4 de julho.

O estudo contou com 553 participantes todo o concelho de Almeirim que realizaram o teste serológico e foram divididos em três subgrupos: 270 participantes de população geral, 200 eram referentes aos profissionais da primeira linha e 83 eram de casos de contacto direto.

Sobre os restantes participantes, o estudo também concluiu que dos 200 trabalhadores da primeira linha que incluíam funcionários do centro de saúde, agentes da GNR, bombeiros e funcionários camarários, 3 foram expostos à Covid-19 e, de acordo com André Peralta, apresentam-se “francamente sintomáticos” e em percentagem equivale a 0,9%. A mesma fonte admitiu que dos 3 casos de Covid-19, 1 não foi testado em Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) e 2 fizeram o teste. Os 2 casos que fizeram teste mostram que 1 foi diagnosticado com Covid-19 e 1 não foi diagnosticado com o vírus, mas teve contacto com um infetado da própria casa.

Em relação aos casos de contacto direto, participaram 83 pessoas, onde 13 foram expostas ao vírus, o equivalente a 15%. Dos 13 expostos ao vírus, 10 apresentaram resultado positivo do PCR e três fizeram o teste mas tiveram resultado negativo. 

André Peralta dos Santos admite que “mais pessoas foram expostas na população do que o inicialmente esperado” e que as pessoas que apresentam “sintomas ligeiros tendem a desvalorizar e não procurar os serviços de saúde”. No entanto, a mesma fonte também admite que 1 em cada 3 pessoas com anticorpos não apresentaram qualquer tipo de sintomas e que os trabalhadores da primeira linha foram menos expostos ao vírus.

Sobre o estudo, o Presidente da Câmara Municipal de Almeirim com os resultados e que “tenho a certeza que vai ser de uma enorme utilidade para as decisões que vamos tomando no nosso dia-a-dia”.

O investigador do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) afirma que este estudo “foi iniciado como um estudo piloto para estabelecer metodologias para estudos de maior alcance.”. A mesma fonte afirma que já estão a planear um estudo para as grandes cidades.

A apresentação contou com Carlos Penha Gonçalves, investigador do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC), Telmo Nunes, professor na Faculdade Medicina Veterinária da Universidade de Lisboa, André Peralta dos Santos, investigador da Escola Nacional de Saúde Pública, Pedro Ribeiro, Presidente da Câmara Municipal de Almeirim e de Duarte Cordeiro, Secretário de Estado.

O estudo contou ainda com a colaboração da Câmara Municipal de Almeirim e o Agrupamento dos Centros de Saúde de Lezíria.

Mariana Cortez

.