Projeto “Piscina Segura”: Como a GNR alerta para o afogamento em crianças e jovens

O projeto “Piscina Segura”, organizado pela Guarda Nacional Republicana (GNR), tem o objetivo de alertar e sensibilizar a população do concelho de Almeirim a “reforçar a consciencialização da sociedade para a problemática do afogamento de crianças e jovens, em piscinas privadas” e prevenir o aumento de afogamentos. A iniciativa começou a 1 de julho e vai decorrer até 15 de setembro.

Segundo a Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI), o afogamento continua a ser a segunda causa de morte em crianças e jovens em Portugal. A mesma fonte também afirma que entre 2002 e 2018 ocorreram 254 afogamentos onde crianças e jovens acabaram por falecer.

O relatório da APSI atualizado este ano conclui que, dos casos de afogamento divulgados pelos Órgãos de Comunicação Social, 65% dos afogamentos eram crianças do sexo masculino, 28% do sexo feminino e 7% desconhecia-se o sexo da criança.

O mesmo relatório também admite que 32% dos afogamentos foram em piscinas, seguido de praias com 24% e 23% ocorreram em rios, ribeiras ou lagoas. No entanto, a APSI afirma que “de 2002 para 2018 foi possível reduzir o número de mortes por afogamento em 75%” relativamente a anos anteriores.

Para manter a redução do número de afogamentos no verão, a GNR aconselha que as crianças sejam vigiadas, dentro e fora de água, por um adulto, que as crianças não deixem brinquedos na piscina, evitar que as crianças corram à beira da piscina e que ensinem as crianças a nadar. Também sensibiliza para as famílias que tenham piscinas em casa que devem tapar a piscina com uma tela, lona de proteção ou outro sistema de segurança e colocar o auxiliar de flutuação nas crianças e certificar-se que se mantenham colocados sempre que estejam dentro ou fora de água.

A GNR também vai desenvolver campanhas de sensibilização com as Secções de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário.

Mariana Cortez

.