A Máscara

Cada vez é maior, o descontentamento dos “utilizadores”, (pois não há outra opção) dos valores solicitados pelos serviços das AR (Águas do Ribatejo). De tal forma o é, que já se formou, e bem, numa primeira fase, um grupo numa rede social e que se estão a movimentar para que a situação dos valores seja tida em conta.

Ora, tudo isto se deve a 2 ou 3 coisas, sendo as taxas cobradas pelo consumo
de água, seja pelo “consumo de saneamento ou resíduos, sendo que estes são taxados mediante o consumo de água. Até aqui, “tudo bem”, pois podemos discordar do valor por m3 ou dos escalões, mas o principal problema, a meu ver, é as contagens!

As contagens são feitas por funcionários e, caso não a façam, então entra
uma estimativa. No site podemos indicar a contagem e assim evitar a estimativa, porém, parece que, ou as AR ou o site, não assume os valores registados, e como tal não são contabilizados, segundo alguns relatos de utilizadores.

É no tempo entre contagens que leva a valores, completamente absurdos. Pois apesar de no Verão se poder gastar mais água, seja por que motivo for, não se pode/deve juntar vários meses e considerar este como sendo um consumo mensal, adulterando assim o consumo real do mês e os escalões.

Aqui se prova, uma vez mais, que a gestão socialista/comunista só beneficia as cópulas dos regimes ou das direcções, uma vez que as AR são um Empresa Intermunicipal por eles criada e gerida. É mais uma das máscaras usadas para, vou chamar de “contribuições”, da população para financiar o regime sedento de dinheiro, para continuar a viver acima das posses!

João Vinagre
CDS Almeirim

Artigo de opinião publicado na edição impressa de 15 de novembro de 2020

.