Benfica do Ribatejo incrédulo com a Associação de Futebol de Santarém

O Grupo Desportivo de Benfica do Ribatejo está incrédulo com a resposta apresentada pela Associação de Futebol de Santarém, depois do protesto apresentado pelo clube no final do jogo relativo à nona jornada do campeonato distrital da segunda divisão diante do Grupo Desportivo do Rebocho.

Vamos por partes. Corria o minuto 90+7 quando a formação do Rebocho pedia ao Auxiliar do lado dos bancos de suplentes a paragem para mais uma substituição. Alertado pelo mesmo Auxiliar e depois pelo Juiz da partida, Bruno Franco, que tratava-se de uma irregularidade, pois era a terceira paragem e o regulamento no seu artigo 105.06 só permite duas paragens no segundo tempo. Insistido pelo Árbitro que iriam cometer uma infração grave e que isso iria acarretar sanções para o clube, os responsáveis do Rebocho insistiram que se procede-se a substituição alegando que sabiam o que estavam a fazer e que o trio de arbitragem estava equivocado com a respetiva lei.

Os responsáveis da equipa de Benfica do Ribatejo sentiram-se no dever de no final do jogo fazer o seu protesto pedindo que as leis sejam cumpridas de igual para todos.

O mais caricato estava por vir ainda, pois o clube de Benfica a seguir ao seu protesto por escrito foi notificado que para avançar com o mesmo, teria de pagar mais de 200 euros à Associação e ainda nomear uma advogado para tratar do assunto. O clube do concelho de Almeirim diz ser completamente alheio aos erros cometidos pelo adversário, mesmo depois do Árbitro Bruno Franco ter dado razão aos benfiquistas,

O clube de Benfica do Ribatejo questiona a Associação de Futebol de Santarém e as respetivas entidades ligadas ao futebol, que se existe uma Lei para cumprir, seria da total responsabilidade da mesma averiguar os fatos e punir os infratores.

O Grupo Desportivo de Benfica do Ribatejo que sente-se prejudicado e é completamente alheio aos erros do adversário não pode de maneira nenhuma aceitar a justificação dada pela Associação Futebol de Santarém para avançar com o processo. O clube está numa fase difícil devido ao que todos estamos a passar e não tem fontes de receita para avançar com um processo de qual chega à conclusão que afinal foi “culpado”, pois existe uma Lei para se cumprir mas que afinal para ser aplicada tem de pagar por isso.

.