Temas Quentes

Nesta quinzena, irei abordar algumas manchetes nacionais e o incêndio ocorrido em Paço dos Negros.

O apoio de Costa e Medina ao presidente do S.L. Benfica, achando que o cargo que ocupam pode ser separado das suas vidas privadas. Todos sabemos que política com futebol é uma combinação infeliz, ainda para mais quando se trata de o apoio a um indivíduo suspeito de um inúmero de ilegalidades e de ter provocado perdas de 225 milhões de euros ao Novo Banco, pagas por todos nós.

Falando em apoios polémicos, o novo presidente do tribunal de contas, José
Tavares, tem o seu nome associado às PPP do governo socialista de Sócrates que terão lesado o Estado em 3,5 MIL MILHÕES de euros. O governo lançou um projeto que pode vir a criar 600 novas freguesias e mesmo com uma nova crise económica a instalar-se, Costa acabou de bater um novo recorde do número de pessoas nos gabinetes dos membros do governo, são 1236
(no governo PSD/CDS eram 888), sendo o maior número desde 1976. Parecem-me duas medidas com nexo, a família socialista/comunista precisa de alimentar muitas bocas se manter e crescer.

Por último, o incêndio de grande perigo ocorrido na minha terra, Paço dos Negros, no passado dia 12. Apesar deste incêndio ter deflagrado junto a várias habitações, os meios operacionais conseguiram evitar um autêntico desastre.

O que me leva a escrever sobre este assunto são os relatos dos moradores que dizem ter demonstrado a sua preocupação referente à falta de limpeza do terreno por parte do proprietário à câmara de Almeirim sem que tenha existido qualquer ação, quer por parte do proprietário quer por parte da câmara.

A provar-se que a falta de limpeza está de facto na origem do incêndio e das suas proporções, ficam algumas perguntas por responder no âmbito da prevenção existente no concelho: o local cumpria a lei?

Se não, estava sinalizado?

Foi ou iria ser limpo pelasentidades competentes?

Não?

Porquê?

O nosso famoso repórter foi ao local mas infelizmente não conseguiu fazer a reportagem.

João Rosa
CDS Almeirim

Artigo de opinião publicado na edição de 15 de outubro de 2020

.